#Resenha “A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira”

 

Jennifer E. Smith. “A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista”. Editora: Galera Record, 2013. 224 p.

“(…) No final das contas, não são as mudanças que partem o coração, e sim esse quê de familiaridade”

Queria encontrar um livro curto para ler no começo deste mês. E lá estava A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista na minha biblioteca virtual, escolha perfeita porque eu já havia lido resenhas positivas, o livro tem menos de 200 páginas, e a história não me parecia ter grandes pretensões. Eu estava em busca de um bom entretenimento, felizmente acabei encontrando muito mais do que isso.

A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista prova que o tempo é muito relativo, em 24h coisas inesperadas podem acontecer, para o bem ou para o mal, e você também pode encontrar, conhecer, uma pessoa que marcará aquele momento, talvez a sua vida, como ninguém mais. 

A premissa da história é a viagem de Hadley para Londres, em poucas horas ela estará no casamento do seu pai que ela não vê há anos, desde que ele se separou da sua mãe repentinamente e foi dar aulas e viver no outro lado do oceano. Hadley não se conforma com esse casamento, ela guarda muita amargura do pai pelo sofrimento que ele fez sua mãe e ela passar quando “destruiu” sua família. O casamento de seu pai era o último lugar que Hadley gostaria de ir, mas uma viagem que tinha tudo para ser muito ruim pode transformar-se em uma das melhores experiências da vida desta protagonista.

Hadley acaba perdendo seu avião para Londres, e presa no aeroporto de Nova York enquanto aguarda por horas o próximo voo, ela conhece Oliver, um britânico muito educado e agradável. Entre as horas no aeroporto, e na viagem para Londres, Oliver e Hadley conversam sobre os mais diversos assuntos, seus sonhos, gostos, problemas familiares, e descobrem uma afinidade rara entre eles. 

" (… ) — É aquela velha história — disse o pai —, se você ama alguém, deixe que se vá. — E se não voltar?
— Alguns voltam, outros não — respondeu e apertou o nariz da filha. — Eu sempre vou voltar. — Mas você não tem luz — explicou. O pai sorriu. — Quando estou com você, tenho sim."

Eu gostei muito desse livro, os protagonistas são interessantes, inteligentes, e divertidos juntos, você não fica entediado com os diálogos deles, na verdade durantes os muitos flashbacks que Hadley tem de sua vida, eu queria ler rapidamente para voltar as suas conversas com Oliver. Não senti que a história foi forçada no sentido de que os protagonistas tinham que se apaixonar, tudo acontece naturalmente e isso faz toda a diferença.

Hadley e Oliver são dois desconhecidos que tinham expectativas diferentes para a viagem de Nova York com destino em Londres, mas o inesperado encontro deles pode mudar as suas histórias.

A história me surpreendeu positivamente, eu não esperava uma reviravolta, e acabei me emocionando muito principalmente nos momentos entre Hadley e seu pai. Acredito que o que eu mais gostei nesse livro é que ele não tem o foco somente no romance entre os protagonistas, mas no amor em geral, aqueles que acontecem repentinamente, o amor que temos pela nossa família, as tristezas e amarguras que podem surgir desse amor. Hadley cresce e amadurece muito nessas 24h em que a história se passa.

“Uma pessoa falou certa vez que há uma fórmula para o tempo que se leva para esquecer alguém:é a metade do tempo que ficaram juntos.Hadley tem lá suas dúvidas sobre essa teoria.”

A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista passa uma mensagem muito bonita no sentido de não perdemos tempo ao lado das pessoas que amamos por causa de brigas e acontecimentos que não podemos controlar, afinal tudo pode mudar de uma hora para outra. Engraçado como um livro curto pode contar uma historia bem amarrada, e cheia de significados, que me divertiu e me fez segurar as lágrimas durante minha leitura no transporte público, claro que indico muito essa leitura!

5 comentários:

  1. Adoro esse tipo de premissa, me lembra "Antes do amanhecer", que é um filme muito fofo. Me deu vontade de investir nessa história, até porque é uma leitura rápida e as vezes a última coisa que a gente quer chegar em casa é um livro de 600 páginas (e isso que eu amo ler).

    Beijos,
    Léka

    www.lekatopia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Léka! Definitivamente lembra "Antes do amanhecer", eu amo esse filme! Quando terminei de ler e comecei a pensar na resenha eu já tinha certo que ia comentar a semelhança com o filme, mas acabei esquecendo e só lembrei com o seu comentário! hahaha Sério, se você gostou do filme como eu invista nessa história, é puro amor e muito bem escrita <3
      E sim, também estou fugindo de livros grandes ultimamente! :(

      Beijos,

      Gabi
      Mundo Platônico

      Excluir
  2. Gostei da temática do livro. Me empresta? USHAUIHUIHS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Bela, não a Fera está passando por reforma, enquanto isso acesse
      | YOUTUBE |
      | FB Page A Bela, não a Fera|

      Excluir
    2. Olá, emprestaria sim, mas li “A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista” em e-book! hahaha Faço o download do meus e-book (quando não compro eles) no site http://lelivros.site/ Indico ;)

      Excluir

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo