Resenha “Claros Sinais de Loucura” #BEDA

 

 

 Karen Harrington. “Claros Sinais de Loucura”. Editora: Intrínseca, 2014. 256 p.

"(…) É isso o que eu sou. Uma cripta de segredos. Eles se agitam dentro do meu peito como pássaros engaiolados que querem fugir, mas tem medo de voar."

Claros Sinais de Loucura esta na minha lista de 12 livros para 2015, como Eleanor & Park li muitas resenhas positivas e quando recebi o livro por troca no Skoob tive que passá-lo na frente da minha fila-de-leituras-em-espera. O livro é curtinho, pouco mais de 200 páginas, mas por causa dos estudos e da faculdade tive que ler Claros Sinais aos poucos, principalmente na hora do almoço, e foi uma experiência legal pois o ritmo do livro nos permite a lê-lo sem pressa, saborear a história. Não tinha grande expectativas para essa leitura, apenas queria um bom entreterimento, e já adianto no começo desta resenha que não se trata de um livro perfeito, mas ele se tornou um dos meus queridinhos, o que Claros Sinais de Loucura possui uma história única, bem escrita, e especial.

Sarah Nelson é uma protagonista diferente, ela e seu pai vivem a sombra de um grande trauma, sua mãe enlouqueceu quando ela tinha dois anos, matou seu irmão gêmeo e tentou matá-la também. O caso ganhou grande notoriedade na mídia, e Sarah e seu pai vivem uma vida de mudanças repentinas para fugir da atenção indesejada e de comentários maldosos sempre que alguém por perto descobre quem eles realmente são. Sarah tenta achar em si mesma sinais de que está ficando louca, afinal sua mãe enlouqueceu e seu pai, que é professor, é também alcoólatra.

No começo fiquei um pouco incomodada porque a Sarah parecia ser adulta demais para os seus 12 anos, mas compreendi sua maturidade, Sarah sente saudades do que não pode viver com a mãe, tenta conversar com o pai buscando pistas do que fez a sua mãe enlouquecer, para ela poder se prevenir, claro, mas seu pai é completamente fechado para conversas desse tipo. A chegada da adolescência traz para Sarah problemas enormes, como a árvore genealógica que terá que fazer na escola, a ansiedade pelo primeiro beijo de língua que ainda não aconteceu, e a aversão de passar mais um verão inteiro na casa de seus avós, mas entre descobertas e novas experiências esse verão será determinante para o resto de sua vida.

"(...) Bem, eu diria: sempre que comprar uma blusa nova ou algum creme para ficar bonita, vá e compre um livro na mesma hora. Também é importante embelezar a mente, não acha?"

Sarah coleciona palavras-problema em um diário, normalmente são palavras sobre assuntos que ela não pode conversar com seu pai. Sua melhor amiga é uma planta, sim ela tem uma planta com quem divide seus sentimentos. É apaixonada por livros, por isso que quando seu professor pede para que no verão os alunos escrevam cartas para um de seus personagens favoritos, Sarah prontamente escolhe Atticus Finch, o advogado de O sol é para todos, um dos seus livros que ela mais gosta.

Nas cartas para Atticus Finch, Sarah escreve sobre ela, sua mãe, sua relação complicada com o pai, abre seu coração e pensamentos nessas cartas como se o personagem fosse seu melhor amigo, ou melhor, o pai que ela gostaria de ter. Acontecimentos do livro O sol é para todos também são citados nessas cartas, o que me deixou muito ansiosa para fazer essa leitura! Sarah é uma criança solitária, escreve cartas e conversa com sua planta porque não pode dizer tudo o que quer e precisa para as outras pessoas, principalmente para o seu pai.

Não é um livro com um enredo que se encaminha para o grande final, apenas acompanhamos os momentos de Sarah nesta prazerosa leitura. Sarah se tornou uma das minhas protagonistas preferidas em livros, por sua inteligência, bom humor, sua ingenuidade atrelada com a maturidade e personalidade marcante. Muitas vezes durante a leitura desejei que a Sarah fosse real para em poder conversar com ela como amiga e adulta, ouvir tudo o que ela tem a dizer sobe sua vida, interesses, e livros. Os outros personagens do livro também são muito interessantes, mas isso vocês terão que descobrir lendo esse livro que eu indico muito.

"Também sou um livro não lido. Estou esperando para saber o que acontecerá comigo.”

Claros Sinais de Loucura é um livro engraçado em diversos momentos, fofo em outros, e que nos faz refletir. Ele nos conta parte da vida de uma protagonista incomum e os problemas que ela tem que enfrentar aos 12 anos. Uma leitura que definitivamente vale a pena, em meio a tantos best-sellers e livros semelhantes, este livro em especial é simples, com um toque de originalidade, e que agrada pessoas que como Sarah são apaixonadas por palavras e livros, e que sabem que as vezes é mais fácil contarmos para os nossos personagens fictícios favoritos o que não conseguimos dizer para mais ninguém, enquanto desejamos que eles fossem reais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo