Sobre DECEPÇÃO e o meu 1º dia na Bienal SP (23/08/2014)

CAOS define a situação da Bienal do Livro no último sábado, e para os leitores que acompanham o Mundo Platônico e sabem o quanto eu estava ansiosa podem imaginar minha decepção agora, o relato abaixo não possui exageros.

Cheguei por volta das 8h40 na Bienal, infelizmente já era tarde demais. A fila para compra de ingressos rodeava o pavilhão. Como comprei o ingresso antecipado fui para perto da entrada principal que já estava lotada, mas fiquei razoavelmente na frente. Quando abriram as portas (antes das 10h) a confusão começou, as pessoas pareciam animais, os seguranças começaram a xingar porque não conseguiam controlar a multidão, pais e filhos se machucaram, e a situação só piorou lá dentro. Fui arrastada pela multidão e quando pude respirar novamente no meio da correria fui até o local onde supostamente distribuiriam as senhas para a sessão de autógrafos da Cassandra Clare, novamente não fiquei muito atrás e acreditei que conseguiria minha senha sem problemas, mas eu estava muito, mas muito engana.

As próximas duas horas e meia até o momento que desisti de tentar pegar a suposta senha foram de muito cansaço, dor, confusão, empurra empurra, palavrões para todos os lados, desmaios (uma moça realmente desmaiou em cima de mim), muito calor, e informações divergentes, não estou exagerando, os relatos estão por toda web, nunca me senti tão mal tratada por uma editora ou organizadores de um evento. Resumindo, não teve organização e todos nós que estávamos lá sofremos por isso.

Não vi ninguém do Grupo Editorial Record lá para explicar nada, os seguranças e funcionários da Bienal estavam desesperados e não sabiam como lidar com a situação. Cada hora ouvíamos uma informação diferente, eram 500, 700, e depois 1000 senhas, e eu nem vi a cor dessas “senhas”. Falavam que todos que ficaram na fila iam conseguir, depois as senhas tinham acabado, e dali a pouco elas se transforam em senhas para o bate-papo com a autora (e nem era pra existir senha para isso). A menina que desmaiou na minha frente falou três vezes para o segurança que estava passando mal e ninguém fez nada até ela cair e sair da fila desacordada.

Muitos como eu que já haviam desistido há tempos não conseguiam nem sair da maldita fila. Quando finalmente consegui sair fiquei feliz por ter sobrevivido a tudo isso sem perder nada ou ter uma costela quebrada. Sai da confusão que o Grupo Editorial Record armou apenas para enfrentar a maior multidão que já vi na vida. Simplesmente não dava para se locomover na Bienal, tinha fila para tudo, comer, beber, para pegar outra fila, não consegui entrar em nenhum estante. Todos corredores, o Anhembi inteiro não comportou o primeiro grande dia da Bienal, acredito ninguém esperava que tantas pessoas iriam comparecer, esqueceram que isso aqui é São Paulo.

Enquanto estava na referida fila para as senhas da Cassandra conheci algumas pessoas que chegaram cedo e conseguirem senhas para sessão de autógrafos do Harlan Coben, mas não conseguiram sair da fila e portanto perderam suas chances de conhecer o autor. Eu mesma não consegui nem chegar perto de nenhum dos autores que tinha programado. Aliás meu cronograma para o sábado foi pelos ares já que eu mal consegui sair do lugar.

Meu primeiro dia na Bienal foi decepcionante, entre vários outros adjetivos negativos que eu poderia usar. O evento em si não foi organizado para receber tantas pessoas, e mesmo assim a venda ingressos não parou. Algumas pessoas comentaram depois que na verdade as senhas para os autógrafos da Cassandra Clare acabaram as 8h da manhã, sendo que o combinado era que a distribuição começaria às 10h. Hoje (24/08) eles mudaram o que haviam “programado” e a fila de 500 pessoas que terão seus livros autografados fechou as 7h da manhã.

Li alguns relatos de pessoas que conseguiram seu autógrafo ontem depois de horas de estresse, mas saíram decepcionadas também, porque diferente do informado só tiveram um livro autografado e não teve foto oficial para todos, no final fiquei feliz por não ter insistido mais naquela fila sem sentido.

Para não dizer que perdi meu dia, consegui assistir a palestra da querida Cassandra de uma distância razoável. A própria Cassandra se assustou com a multidão, e mesmo com a má organização foi atenciosa com todos os fãs que pode, respondeu perguntas, deu spoilers sobre seus próximos livros, e abraçou alguns sortudos. Obrigada Cassandra Clare por ser fofa mesmo no meio da bagunça. Seu carisma foi o único ponto positivo do dia.

Do dia 23/08/2014 fica a lição de nunca mais tentar autógrafos de autores famosos da Galera Record, afinal outras editoras organizariam o evento de uma maneira melhor. E nunca mais me meter em multidões como a que vi lá, afinal eu tive sorte por não desmaiar e não ter nenhum ferimento grave. Por volta de 5 (ou mais) autores famosos estava na Bienal sábado, logo evitarei dias como esse na próximas bienais. Ah! Não consegui comprar absolutamente nada além de um lanche ruim que esperei mais de meia hora para ficar pronto.

Não desisti da Bienal, pretendo visitá-la na próxima segunda-feira (dia 25/08), e espero que esteja lotada, mas com espaço para locomoção. Não parecia que a maioria das pessoas que foram ontem estavam lá pelo livros, e isso é triste. Continuo amando o evento por causa das pessoas, editoras sérias, e é claro os livros! Mas, nunca mais repetirei os erros desse último sábado. Ainda vai ter Bienal para mim, vou tentar realizar as compras que planejei e pegar autógrafos de autores nacionais, mas não ficarei decepcionada se não conseguir, afinal toda a decepção que eu poderia sentir foi reservada para o meu primeiro dia na Bienal do Livro em SP 2014.

5 comentários:

  1. Nossa Gabi que decepcionante! A falta de organização é o que destrói um evento. Espero que o seu próximo dia de Bienal seja melhor e consiga aproveitar de forma agradável esse evento tão legal. Beijão!
    Greice.

    ResponderExcluir
  2. Olá :)
    Olha eu nem tentei pegar autógrafo de ninguém e mesmo assim me estressei fui hoje dia 24/08 e achei muito chato ter fila pra entrar nas editoras. A Universo dos livros foi a que eu mais gostei de visitar um espaço bem aberto e nada de muvuca nos caixas! Também achei falho os preços não estarem visíveis em muitas das editoras, e na Galera Record tinha a máquina pra consulta mas era tana gente e tanto caos que nem dava pra consultar direito!

    Espero ir nas próximas, mas espero que seja diferente e melhor.

    Beijos ;*

    ResponderExcluir
  3. Oi Gabi.

    Eu sei completamente como você se sente. Eu estava no meio daquela muvuca que foram as filas e a própria bienal. Não dava para ANDAR. Isso foi completamente desumano. E sobre os relatos da Cassandra Clare, eu já ouvi de tudo um pouco. Tenho uma amiga minha que seguiu em frente sem mim e conseguiu. Ela me disse que a distribuição REALMENTE começou antes do que foi avisado, lá pelas 9 da manhã, mas que já tinha gente antes disso que conseguiu entrar ((?) com a senha. Segundo ela, foram distribuídas mais de 1000 senhas. Mais de 1000 livros foram autografados, e muita gente como nós, ficamos sem pela falta de organização e respeito de dezenas de pessoas. Eu também passei mal naquela bienal. Teve um momento em que eu e minha outra amiga nos deitamos naquele espaço verde próximo a praça de alimentação e ficamos lá por um bom tempo só para RESPIRAR direito, porque nem isso dava. A única coisa que valeu nesse dia para mim foi conhecer e reencontrar pessoas da blogosfera muito bacanas. Uma pena que não nos encontramos! Eu juro que fiquei procurando por você, mas era impossível. Se a Bienal de SP for isso mesmo que aconteceu nesse ano, sinceramente, da do Rio dá de 10 nela. E olha que lá teve inúmeros problemas. Eu fiquei muito decepcionada, até porque eu sou de longe, paguei passagem e tudo para no fim não dá certo. Mas minha lição foi aprendida. Eu dificilmente foi aguardar em filas para autores internacionais em uma bienal de novo. E eu com certeza irei em pelo menos um dia de semana para poder visitar e transitar nos estandes tranquilamente, sem sair de lá machucada.

    Beijos!
    Aline
    Memoirs and Books

    ResponderExcluir
  4. Oi Gabi!
    É muito triste quando a gente se prepara e se empolga com um evento, e dá tudo errado... Eu me senti triste também pela menina que passou mal, não estava lá nem a conheço mas eu também costumo passar mal em lugares fechados e cheios. Ainda bem que não fui nesse dia.
    Eu fui no dia 27 e também estava cheio, mas consegui entrar nos estandes. Só que cheguei as 11h e as 15h não estava aguentando mais e fui embora.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  5. Oi.
    Pois é, dia 23 foi realmente complicado. Eu não fui lá para ver nenhum autor em especial, mas mesmo assim acabei saindo um pouco decepcionada com o evento em si. Espero que no dia 25 tenha sido melhor.

    Beijos, Vanessa.
    This Adorable Thing
    http://thisadorablething.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo