#RESENHA “Dias de Sangue e Estrelas”, por Laini Taylor

LAINI TAYLOR. Dias de Sangue e Estrelas. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013. 448p. Skoob. 1234

Estou sempre lendo algum livro e acompanho várias sagas ao mesmo tempo, leio o primeiro ou segundo livro de uma série e tenho que aguardar vários meses para ler a continuação, e quando finalmente tenho a sequência em mãos não é raro acontecer de eu não lembrar muito bem dos fatos ocorridos no livro anterior. Hush Hush, por exemplo, quando comecei a ler “Silêncio” tive muita dificuldade para me situar na história. A série Feita de Fumaça e Osso, por outro lado, foi marcante de uma forma que mesmo lendo o segundo livro (Dias de Sangue e Estrelas) mais de um ano depois do primeiro a história permaneceu muito viva na minha mente. Encantei-me tanto pelo mundo criado pela autora que sempre que penso em bons livros de fantasia, e nas melhores séries que estou acompanhando, me recordo da história de amor e guerra criada por Laini Taylor, como se tivesse lido tudo ontem.

"(...) - Sonhos pequenos para homens pequenos. É a vida a única capaz de crescer e preencher mundos.
Ou temos a vida como mestre, ou a morte. Olhe só para você.
É um senhor das cinzas, de restos carbonizados. Sua vitória o deixou imundo."

Feita de Fumaça e Osso foi um dos livros mais surpreendentes que li em 2013. A premissa era instigante, no começo a trama parecia se desenrolar como tantos outros romances sobrenaturais, mas não, quando Karou parte seu osso da sorte com Akiva ela é transportada para uma vida que viveu em um outro mundo marcado por uma guerra milenar entre os anjos e quimeras. Foi no meio dessa guerra que ela ingenuamente se apaixonou pelo inimigo, uma história de amor que não teve um final feliz. Akiva jurou vingar a morte da sua amada e assim o fez, mas Madrigal, agora Karou no mundo humano, está viva e acordou com a lembrança das duas vidas que já viveu, apenas para que descobrir sua espécie foi quase exterminada com a ajuda daquele que ela entregara seu amor.

Em Dias de Sangue e Estrelas descobrimos que caminhos seguiram Karou e Akiva depois de sua triste separação no primeiro livro da série. Dominada pelo ódio que sente por Akiva ter ajudado a matar sua família quimera, Karou partiu para Eretz, mas o que ela encontra não é bom, a grande batalha terminou há pouco tempo, e os anjos declararam sua vitória. É nesse cenário que Karou encontra o Lobo Branco, seu assassino de outrora, e agora que o Comandante se foi ele é o líder do que restou do seu povo. Sem alternativas, Karou se junta ao Lobo na luta de resistência das quimeras, ela ainda é a traidora que se deitou com inimigo, mas com a morte do ressurreicionista Brimstone (pausa dramática),  Karou foi única pessoa que ele “treinou” e que possui o dom e a habilidade necessários para ficar no seu lugar. E é cercada por quimeras que ainda nutrem ódio por sua traição que Karou começa a criar novos e terríveis corpos para as quimeras retornarem a  vida, e a inacabável guerra.

Akiva retornou para Eretz com o objetivo de encontrar Karou, mas depois de uma longa procura sem resultados ele chega a acreditar que ela morreu novamente. Akiva sabe que ele perdeu Karou para sempre no momento em que ela descobriu a verdade sobre o que ele fez enquanto ela vivia sua vida humana, e que foi ele o responsável pela morte de sua família e Brimstone, mas, mesmo sem esperanças de que Karou ainda o ame, Akiva não desistiu do sonho impossível e maravilhoso que ele e Madrigal sonharam, uma Eretz não mais separada pelo ódio entre as quimeras e os anjos, uma Eretz sem o ódio e violência do Lobo Branco e do Imperador dos anjos, Joram.

“Era uma vez um anjo e um demônio que se apaixonaram e ousaram imaginar um novo modo de viver – sem massacres ou gargantas cortadas ou fogueiras feitas com os mortos, sem espectros ou exércitos bastardos ou crianças arrancadas dos braços de suas mães para assumir seu lugar naquele ciclo de matar ou morrer.”

Akiva também traiu seu povo quando escolheu ficar ao lado de Madrigal/Karou, mas os únicos que sabem da verdade são seus irmãos, Liraz e Hazael. Os três, assim como todo o exercito dos Ilegítimos, são filhos bastardos do Imperador Joram, e vivem apenas para dar continuidade à guerra de seu “pai”. Já conhecemos Liraz e Hazael, mas é somente agora que os personagens são explorados. Liraz e Hazael, assim como outros anjos, também estão cansados de “viver” nessa guerra, o derramamento de sangue é tudo o que eles conhecem, mas Akiva tem o sonho de viver em uma Eretz melhor, e para isso acontecer ele terá que começar matando o seu pai, o Imperador

Não há certo ou errado, alguém que tem razão nesta batalha, os líderes dos anjos assim como o Lobo Branco não têm escrúpulos e não poupam mortes para alcançar seus objetivos, não há como torcer pela vitória de nenhum dos dois. Novamente Karou e Akiva estão de lados opostos na guerra, mas enquanto ele trama o começo do fim deste conflito e tenta salvar quantas quimeras forem possível, Karou segue as ordens do Lobo Branco criando quimeras monstruosas, para fins que ela desconhece, pois o Lobo não deixa Karou conhecer suas estratégias. Não há perdão para a traição de Karou, a crueldade do Lobo ao executá-la anos antes em praça pública não acabou, ele ainda quer ela sofra e morra, mas vai manipulá-la enquanto puder pois precisa que Karou construa seu exército.

Eu amo a mitologia criada por Laini Taylor, mas o grande destaque deste livro são os personagens. O livro é narrado em terceira pessoa e a maioria dos capítulos são sob o ponto de vista de Karou e Akiva, mas também temos o ponto de vista de novos personagens, que são muitos neste livro, como Ziri, último dos Kirin, tribo que Madrigal pertencia e que foi extinta. Eu não imaginava que nesta parte mais mágica e sombria da história a autora ia manter Zuzana, a melhor amiga humana de Karou, presente de algum modo.  Zuzana é uma personagem muito forte, divertida, uma amiga de verdade que se importa tanto com Karou que irá se envolver junto com seu namorado Mik nesta trama perigosa demais para haver qualquer envolvimento humano.

“Ziri contemplava as chamas. Estava no alto de uma encosta, na segurança provida pelas árvores. Segurança.
A palavra lhe pareceu absurda. Não havia segurança alguma. Era melhor que os anjos ateassem fogo no mundo inteiro e acabassem com tudo logo. As coisas que ele vira queimar naqueles últimos meses…”

Akiva definitivamente é o meu personagem favorito, ele já foi um assassino, mas ninguém tem mãos limpas na guerra, nem mesmo Karou. Neste livro descobrimos mais detalhes sobre a mãe do Akiva e seu “povo”, os anjos que vivem do outro lado de Eretz e que estão fora da guerra, por enquanto. A magia que inexplicavelmente Akiva consegue controlar foi mais notória neste volume. Saber sobre as origens do Akiva e toda a estrutura do império dos anjos me fez questionar como a autora conseguirá fechar todas as pontas soltas em apenas um livro, o último desta trilogia. Dias de Sangue e Estrelas é um livro triste, os personagens possuem conflitos muito complicados, é difícil encontrar uma saída que não resulte em suas mortes ou mais sofrimentos.

A escrita de Laini Taylor é muito boa, quase poética em algumas passagens, tive vontade de grifar diversas frases do livro. Li rapidamente e fiquei quase em depressão quando terminei, terei que esperar sabe lá mais quanto tempo para descobrir o final. Impossível não se envolver com a história, nos momentos finais Karou tem que fazer uma escolha complicada e sua decisão quase me fez querer jogar o livro na parede, a solução para esse problema foi surpreendente, e a autora (nem Karou!) não me desagradaram nenhum pouco. Final de tirar o fôlego, uma das minhas séries favoritas, mal posso esperar para ver como tudo vai terminar!!

  

Resenha enorme, e mesmo assim não consegui comentar tudo que gostaria sobre este livro! <3 Não deixem de acessar nossa fanpage , vou postar algumas fanarts maravilhosas que encontrei da série! E não deixem de comentar nesta resenha, quem gostaria de ganhar um exemplar de Dias de Sangue e Estrelas? (:

5 comentários:

  1. Eu AMEI sua resenha, é bom encontrar alguém que conheça e goste, pois vejo poucas blogueiras falando sobre.
    Eu me apaixonei pela história pelo Akiva, pela capa, pela escrita da autora por TUDO!
    E no final eu fiquei super estressada com o Thiago o que ele quase fez com ela na caverna são poucos os livros que eu leio assim e aquilo me deixou furiosa ainda bem que a Karou é FOD*

    Beijos ;* adoro o seu blog.

    ResponderExcluir
  2. Aaaaah tô louca pra ler essa continuação *-*
    Eu adoraria ganhar sabe?? hashuas
    Amo seu blog, beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Gabi!

    Gostei muito da sua resenha, é a primeira vez que passo por aqui e gostei muito do que vi e li. Sobre "Dias de Sangue e Estrelas" eu só tenho a dizer que preciso desse livro o mais rápido possível! Desde o lançamento do primeiro livro eu fiquei tentado a lê-lo, mas por motivos maiores acabei deixando pra lá. Mas, como sempre, resenhas bem escritas como a sua me deixaram maluco por ele. É muito bom saber que você gostou e recomenda a história.

    Espero ler o primeiro ainda este ano e compartilhar da mesma felicidade que você, rs.

    Abraços, http://umleitoramais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. AKIVA DEFINITIVAMENTE É O MEU PERSONAGEM FAVORITO. Desde o início, sombrio e perigoso início, ele já me cativava. Nele eu encontro muitas características que eu ansiava em outros personagens (de outros livros). Ele foi um tiro certeiro pra mim. Só não consigo compreender a Karou: por quê não perdoar Akiva? Ela podia ao menos refletir sobre a questão. Ele fez o que fez foi por amor. De todo o meu coração, espero que o Akiva seja o mais realizado, em termos de final feliz, em todo o livro. Akiva é apaixonante. Não tem como não amá-lo. E o livro é IN-CRÍ-VEL... amo a fantasia que a Laini criou. Nota mil.

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li nem o primeiro livro, mas pela quantidade de comentários positivos a respeito dele, assim que puder vou dar uma chance a ele! :D

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo