#Resenha “Pandemônio” - DELIRIUM #2

 

  • Título: Pandemônio
    Autor: Lauren Oliver
  • Intrínseca: Intrínseca
  • Editora: 304
  • Conceito:
  • *Spoilers para que não leu Delírio.

- E qual era seu nome? - pergunto, e Graúna para de repente, de costas para mim. - Antes de você vir para a Selva - insisto. Por um momento ela permanece parada. Mas então se vira. - É melhor se acostumar logo - diz, com uma intensidade contida. - Tudo o que você era, a vida que tinha, as pessoas que conhecia… adeus.- Ela balança a cabeça e completa, com um pouco mais de firmeza: - Não existe o antes. Só existem o agora e o que vem depois. Dividida entre o passado - Alex, a luta pela sobrevivência na Selva - e o presente, no qual crescem as sementes de uma violenta revolução, Lena Haloway terá que lutar contra um sistema cada vez mais repressor sem, porém, se transformar em um zumbi: modo como os Inválidos se referem aos curados. Não importa o quanto o governo tema as emoções, as faíscas da revolta pouco a pouco incendeiam a sociedade, vindas de todos os lugares… inclusive de dentro.

“Pandemônio” em uma palavra é surpreendente. Eu não sabia o que esperar desta história depois daquele melancólico final do primeiro livro, e eu não imaginava que minha querida escritora Lauren Oliver iria ser ainda mais cruel neste livro com seus personagens. Estava ansiosíssima para ler  e não me decepcionei,  os fãs da série com certeza irão se dividir a partir deste livro, e não sei como a autora vão conseguir conclui essa trama que foi tão bem construída desde o início. Alex, cadê? ):

  • “(…) Pegue algo de nós, e nós pegaremos de volta. Roube de nós, e roubaremos tudo de você.
  • Se nos pressionar, vamos bater. É assim que o mundo funciona agora.”

Lena enterrou as memórias de sua vida de “válida” para poder renascer na selva, e mesmo estando em negação com a suposta morte do seu amado Alex, ela segue em frente, porque seguir em frente e lutar para sobreviver é a única opção. Depois da fuga Lena fica perdida durante dias, entre a vida e a morte, até ser encontrada por Graúna, a líder de um grupo de Inválidos, a qual ela agora pertence. Lena se torna muito mais forte neste livro, ela segue resistindo a fome e a dor de uma nova vida cheia de tensão.

Os capítulos do livro são intercalados entre “antes”, a recuperação e adaptação de Lena na realidade da Selva, onde ela conhece pessoas muito importante para o livro como Graúna, Prego e outros amigos. E “agora”, em que Lena está vivendo em Nova York, com uma nova vida e nome ela está infiltrada na ASD (América Sem Deliria), e sua primeira missão é vigiar Julian Fineman, filho do chefe da ASD, líder do grupo jovem, e um símbolo para aqueles que lutam a favor da cura.

A luta contra a cura e os que dominam essa sociedade opressora se torna muito mais forte neste livro, agora podemos ler o ponto de vista dos Inválidos e suas ações, que apesar de não serem perfeitas, visam com todas as suas forças a liberdade. Lena entra com tudo na guerra ao lado os inválidos, mesmo sem estar a par de todos os detalhes, ela segue as ordens de Graúna sem questionar, o que me deixou irritada.

  • “(…) Em lugares não regulamentados, cada história tem um propósito. Mas livros proibidos são mais que isso. Alguns são como teias; podemos sentir o caminho que traçam com seus fios, de leve, até cantos estranhos e escuros. Alguns são balões subindo para o céu: completamente independentes, e também inalcançáveis, mas belos de se verem.
  • E alguns deles, os melhores, são portas.”

Graúna é uma personagem muito forte e determinada , com uma verdadeira líder deve ser, apesar de ter me decepcionado em alguns momentos é ela que ajuda Lena a renascer. Lemos muitas mortes neste livro, por todos os lados só há caos, os curados continuam  sendo “zumbis”, que é como os Inválidos os chamam,  e fome, frio, revolta, e insegurança, são muito mais presentes neste livro do que o amor no primeiro.

Os rumos que a história tomou e a ações de Lena são conflitantes e fiquei impaciente muitas vezes, mas no final os personagens não me decepcionaram, o que foi um ponto muito positivo. Sobre triângulos amorosos, não podemos dizer que realmente há neste livro porque Lena teve que aceitar a morte de Alex e seguiu em frente, posso entender isso apesar de não concordar. Julian é um personagem que me impressionou, carismático e inocente, gostei dele mais do que deveria, porque como Lena ficamos pensando em Alex e ele é uma memoria forte e inesquecível, algo que Julian não pode substituir.

Senti muita falta de Hana e Alex neste livro porque ele foram personagens marcantes em “Delírio”, a falta que Alex faz na história é enorme. :( A autora criou um impasse muito grande, pensei muito  e não sei como resolver as complicações desta história sem uma tragédia e corações partidos. Se acabei a leitura do primeiro livro chorando, a última página deste livro me deixou em choque, PRECISO ler “Requiem” o mais rápido possível, não acredito que a Lauren foi tão má com seus leitores mais uma vez … ):

  • “(…)Esta é a questão: não nos importávamos de verdade.
  • Um mundo sem amor também é um mundo sem riscos.”

Claro que indico muito “Pandemônio”, essa série é uma das minha favoritas, e estou com o coração na mão a espera do último livro da trilogia. Tenho muito que comentar sobre esse livro, spoilers para que não leu e precisa se surpreender, então se você leu Pandemônio venha conversar comigo nas redes sociais do blog, não aguento mais refletir e me revoltar sobre essa história sozinha. (:

   

7 comentários:

  1. Ai não li toda a resenha porque pretendo ler em breve Delírio aí ia estragar as surpresas né. Mas parece que Lauren Oliver deixou todo mundo louco pelo último livro. Tomara que eu consiga logo o livro porque essa trilogia é uma das que mais tenho curiosidade me conhecer.
    Bjs, Greice.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela resenha ficou ótima. Estou mega anciosa para ler essa trilogia!!! Valeu pelo incentivo!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  3. Ainda não le o primeiro livro mas depois de ler esta resenha - q me chamou mta atenção - pretendo lê-lo
    Parabéns pela resenha

    ResponderExcluir
  4. Já li Delírio e gostei apesar de o começo ser bem lento, mas essa autora realmente é muito boa!

    Pandemônio já está na minha lista de desejados, pretendo comprá-lo em breve! Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  5. Nossa não li ainda Delírio, e fiquei muito curiosa agora acho que vou gostar muito dessa serie, vou esperar ter todos pra ler junto, não aguento ficar esperando sair, leio logo todas as resenhas pra saber o que me espera.
    A capa é linda com a cor que amo combinando com a de Delírio.
    Quero muito saber o que vai acontecer no final do segundo livro rsrsrrsrs

    ResponderExcluir
  6. Achei a resenha bem legal, só que não sinto vontade de ler a Saga Delírio, mesmo sendo bem elogida. Quem sabe depois eu o leia, mas agora não

    ResponderExcluir
  7. Adorei a resenha! Já li Delírio e amei! Alex <33333333

    Esse livro será minha próxima compra! ^^

    Bjsss.

    ResponderExcluir

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo