#Resenha “Ladrão de Almas” - Trilogia Taker

 

  • Título: Ladrão de Almas
  • Autora: Alma Katsu
  • Editora: Novo Conceito
  • Páginas: 430
  • Conceito: 1234

No turno da noite de um hospital no estado do Maine, o Dr. Luke Findley espera ter outra noite tranquila. Mas, no momento em que Lanore McIlvrae - Lanny - entra no pronto-socorro, muda a vida dele para sempre. Uma mulher com passado misterioso. Lanny não é como as outras pessoas que Luke conheceu. E Luke fica atraído por ela, mesmo sendo suspeita de assassinato; e conforme Lanny conta sua história, uma história de amor e uma traição consumada que ultrapassam tempo e mortalidade, Luke se vê totalmente seduzido. Seu relato apaixonado começa na virada do século 19 na mesma cidade de St. Andrew, consumida pelo amor que sentia pelo filho do fundador da cidade, Jonathan, Lanny fará qualquer coisa para ficar com ele para sempre. Mas o preço que ela tem de pagar é alto - um laço imortal que a prende a um terrível destino por toda a eternidade. E agora, dois séculos depois, a chave para sua cura e salvação depende totalmente de seu passado. De um lado um romance histórico, de outro uma narrativa sobrenatural, Ladrão de Almas é uma história inesquecível sobre o poder do amor incondicional, não apenas para elevá-lo e sustentá-lo, mas também para cegar e destruir.

Tive uma relação de amor e ódio com “Ladrão de Almas”. Comecei a ler esse livro em outubro do ano passado, mas como a história se arrasta muito no começo acabei deixando a leitura de lado por meses. Voltei a lê-lo pouco tempo atrás, e depois de um ponto a história deu uma reviravolta muito grande e boa que me prendeu na leitura e me fez refletir por muito tempo tudo o que aconteceu nessa trama impressionante. 

  • “(…) Ele aceitava a morte como uma das verdades absolutas do mundo e agora estão lhe dizendo que não é bem assim. No final da vida, as exigências são escritas com tinta invisível. Se a morte
  • não era uma verdade absoluta, e os outros fatos e crenças com os quais fora criado?
  • Quais desses outros também seriam mentira?”

Luke Findley é um solitário médico que está com sua vida completamente desestruturada, ele cumpria seu turno no hospital em uma pequena cidade do estado de  Maine, uma rotina sem surpresas até que ele conhece a misteriosa Lanore McIlvrae. Lanny chega ao hospital acompanhada pela polícia, e logo ela confessa a Luke que recentemente matou uma pessoa muito querida para ela, e além disso ela é imortal. As coisas que Lanny diz são absurdas, mas Luke se sente atraído por essa estranha jovem, por isso ele começa a ouvir uma longa e sobrenatural história que poderá mudar a sua vida para sempre.

O começo do livro é Lanny narrando para Luke sua infância que se passou naquela mesma pequena cidade, na virada do século XIX, em uma sociedade muito conservadora e puritana. Desde pequena Lanny era apaixonada por Jonathan St. Andrew, seu melhor amigo, filho do fundador da cidade Jonathan pertencia a família rica que dominava a todos. Com o passar dos anos o amor de Lanny se torna mais forte, mesmo com os escândalos amorosos de Jonathan, e ela fará tudo o que puder para ficar com ele. Contra a vontade de todos e sem a garantia dos sentimentos de Jonathan, Lanny lutará por um amor que será sua ruína.

Essa primeira parte da história é muito longa e detalhada, e para mim foi chato ler os sentimentos de Lanny por uma pessoa que parecia querer todas as mulheres da cidade, menos ela. Por isso abandonei a leitura por um tempo, mas tudo muda depois de alguns acontecimentos levam Lanny a deixar a cidade, daí para frente muitas reviravoltas acontecem em sua vida. Lanny conhece o deslumbrante homem que a seduz para uma vida de prazeres e escuridão, o homem que lhe dará a imortalidade só para depois tirar sua liberdade.

  • “(…) Porém sabia que este outro nível de existência tinha um preço; só não sabia qual seria, ainda. Não me sentia superior aos mortais, assim como não me sentia uma deusa. No máximo, sentia
  • que tinha deixado a esfera da humanidade e atravessado para um esfera de segredos obscenos
  • e arrependimentos, um submundo escuro, um lugar de punições. Mas com certeza,
  • eu não estava totalmente perdida. Devia haver uma chance de me redimir.”

Eu gostei muito de me surpreender com essa história porque não esperava tanto. Mas, muitas coisas não me agradaram, como a obsessão de Lanny por Jonathan e sua beleza, a autora focou muito nisso e me pareceu que o amor de Lanny era superficial, todos se interessavam por Jonathan por causa de sua aparência, o que causou sua desgraça. Em muitos momentos a leitura se arrasta, e as atitudes dos protagonistas me desgostaram, mas são essas mesmas atitudes que tornam a leitura mais interessante.

A história me levou a analisar muito os personagens, sabe quando criticamos as ações de todos? Ninguém merece amar uma pessoa que nunca poderá ter, mas para mim Lanny foi a grande culpada de tudo que aconteceu com ela. No começo achei Jonathan um completo idiota, mas não é culpa dele se todos se apaixonavam por sua beleza, e acredito que ele nunca se entregou a Lanny completamente pois não poderia retribuir todo aquele amor. Os protagonistas Luke, que está ouvindo a história, Lanny, que está contando tudo que viveu, e Jonathan, o manipulado, não nos conquistam e o vilão acaba roubando a cena.

O grande vilão da história, “o ladrão de almas”, é um dos personagens mais intrigantes que eu já li, e a leitura do livro todo já compensa apenas por ele. Em alguns momentos torci por essa pessoa sem escrúpulos, controladora, ambiciosa, mas que bem lá o fundo só desejava ser amada, como Lanny. Um livro que vai de um romance histórico a uma sombria história sobrenatural, relatos de um cruel passado, traições, sexo, mistérios, perversão, amores não correspondidos, e magia.

  • “(…) Mas minha ignorância foi o caminho para minha desgraça. Estava louca para ser amada. Não posso colocar a culpa toda em Jonathan. Quantas vezes causamos nossa própria derrocada!”

Apesar de surpreendente a história não é totalmente original, e o fato de me lembrar o clássico “Entrevista com Vampiro” da escritora Anne Rice tirou um pouco a graça da leitura. Se você se interessou pela história e não achou tão ruins os pontos negativos que eu encontrei, não deixe de ler, eu indico a leitura e pretendo ler a trilogia apesar de não ter ideia do que a autora vai escrever para continuar com uma trama que já teve um “fim”.

13 comentários:

  1. Parabéns pela resenha Gabriela! Estou ansiosa para ler Ladrão de Almas! Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Tenho o livro, e estou louca para ler, mas por falta de tempo ainda não li.
    Gosto muito de histórias com mistério e com um ar mais sombrio, então acho que vou gostar bastante do livro!

    ResponderExcluir
  3. Tenho um grande problema com livros que tem o começo chato como parece ser o caso desse. A capa é lindissima. Geralmente gosto de livros com historias no presente e passado, mas acho que esse não seria um dos que eu me interessaria.

    ResponderExcluir
  4. Pena que se arraste no começo achei essa história muito boa mas tenho problema com isso levo seculos pra ler, mas gosto muito de histórias que misturem duas épocas ponto possitivo então vou dar uma chance pra esse livro que já está algum tempo na minha estante.
    A capa é lindissima.

    ResponderExcluir
  5. Acho a capa desse livro maravilhosa , uma das mais bonitas na minha opiniao, quando ao livro a história nao sei se eu eu iria gostar , apesar da sua opiniao positiva .

    ResponderExcluir
  6. Bem, acho que não vou abandonar o livro já que agora sei que depois da narrativa da infância a história melhora, tenho dificuldades para terminar um livro quando a leitura se arrasta e não vejo a história fluir

    ResponderExcluir
  7. Adorei sua resenha estou louca pra ler, e vendo a sua resenha vou passar o livro na frente na minha lista de compras :)

    Adorei o blog.

    ResponderExcluir
  8. Não gosto de livros que tem começo arrastado, mas as vezes nos surpreendemos, isso aconteceu comigo e A Hospedeira, larguei mas depois que consegui ler tudo se tornou um dos meus favoritos.
    Não imaginei nada parecido com o que você descreveu na resenha, ou seja julguei o livro pela capa que não dá para dizer que não é Linda. Que olhos lindos.
    Eu gostei da resenha e até me interessei pela estória mas não vai ficar no topo de vontades de leitura.
    Bjs, Greice.

    ResponderExcluir
  9. Ainda não tive a oportunidade de ler o livro, porem soou fascinada pela capa, a historia também parece ser muito boa, (mesmo sendo um gênero em que não sou acostumada a ler com frequência) já o coloquei na minha lista não vejo a hora de poder ler o livro.

    ResponderExcluir
  10. Já li diversas resenhas de pessoas que se encontraram nesse mesmo "impasse" na hora de decidir se amou ou odiou o livro. Parece mesmo intenso, o que o deixa à margem da opinião de cada leitor. Estou bem curiosa para lê-lo, achei a história intressante e diferente. Amei a sua resenha, muito sincera!

    ResponderExcluir
  11. Faz muito tempo que quero ler esse livro! Adorei a resenha, apesar dos pontos negativos, fiquei curiosa.

    ResponderExcluir

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo