#Resenha “Selvagens”

 

  • Título: Selvagens
  • Autor: Don Winslow
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 288
  • Conceito: 1234

Ambientalista e filantropo nas horas vagas, Ben comanda um negócio de venda de maconha em Laguna Beach. Ao lado de seu parceiro, o ex-mercenário Chon, ele fatura lucros consideráveis e mantém uma clientela fiel. No passado, quando seu território foi invadido, Chon tratou de eliminar a ameaça. Agora, porém, eles parecem estar diante de uma força da qual não podem dar conta: o Cartel de Baja, do México quer tomar a região e avisa que não irá aceitar uma negativa como resposta. Quando os dois amigos se recusam a recuar, o cartel reforça a advertência sequestrando Ophelia, companheira e confidente dos rapazes. O sequestro deflagra uma gama alucinante de negociações habilidosas e reviravoltas inacreditáveis, que deixarão os leitores ansiosos para descobrir o custo da liberdade e o preço de um grande barato. Selvagens é um thriller alucinante, escrito por um mestre do gênero no auge de sua carreira.

Eu estava - e ainda estou - com pouquíssimo tempo para ler, então precisava de um livro mais rápido de ser lido, cheio de ação, e “Selvagens” do escritor Don Winslow chegou na hora certa. Eu assisti o trailer do filme do Oliver Stone antes de ler o livro, e me interessei demais pela história que parecia ser bem diferente do que eu estou acostumada a ler. Comecei a leitura de Selvagens sem preconceitos e logo me apaixonei pela narrativa, e fui envolvida por essa trama eletrizante do triângulo amoroso mais original que eu já li.

  • “[…] Ben é madeira quente, Chon é metal frio. Ben é carinhoso, Chon, indiferente.
  • Ben faz amor, Chon faz sexo. Ela ama os dois. O que fazer, o que fazer?”

Ben e Chon são melhores amigos, juntos eles produzem e comercializam a melhor maconha do mundo, e comandam o maior comércio da droga em Laguna Beach. Ben é um botânico brilhante que desejava que seu negócio ficasse fora da violência da guerra das drogas, e quando isso não fosse possível Chon cuidava do assunto. Chon era da marinha americana, lutou na guerra do Iraque, e é um ex-mercenário, ele lida bem com seus traumas, ou com a falta deles. Enquanto Ben viaja aplicando seu tempo e dinheiro em projetos humanitários pelo mundo, Chon cuida dos negócios não hesitando em usar violência quando necessário.

Ophelia, ou simplesmente O. poderia ser o estereótipo de patricinha americana, adora fazer compras e ama dois garotos, mas “Selvagens” foge dos estereótipos, e essa protagonista diferente supreendentemente me conquistou. O. namora Ben e Chon ao mesmo tempo e os três vivem em harmonia, pausa para o primeiro triângulo amoroso que deu certo em algum livro. (risos) Ben, Chon e O. se entrosam muito bem, são pessoas completamente diferentes, mas se completam, e não é estranho ler o relacionamento deles.

Tudo ok até que o Cartel de Baja, do México, que tem uma longa e sangrenta história na guerra das drogas, quer expandir seus negócios, e a maconha de Ben e Chon chamou sua atenção. Eles desejavam que Chon e Ben trabalhassem para o Cartel continuando a  produzir sua maconha. Mas Ben quer sair do negócios das drogas, e Chon só quer que  Cartel vá se foder. Insatisfeitos eles sequestram O. para que os garotos colaborem com o Cartel de qualquer jeito. E é assim que toda a ação começa, Chon e Ben não vão deixar barato o sequestro da encantadora O., e os mexicanos vão desejar nunca terem se metido com esses três. 

  • “É impossível não amar Laguna.
  • É impossível não  amar O.
  • Ben quer paz
  • Chon sabe
  • Que não é possível ficar em paz com Selvagens.”

Eu preciso deixar claro que li esse livro no momento certo, e sei que muitos leitores não vão gostar o tanto que eu gostei. A trama é cheia de ação, violência, sexo explícito, e muitas drogas. O autor dá detalhes em sua narrativa sobre a produção das drogas e seus efeitos, e também há um pitada de crítica política. "Selvagens é ao mesmo tempo um início e o ápice; um espetáculo de pirotecnia e uma reflexão profunda sobre a sociedade contemporânea."  Los Angeles Times.

“Selvagens” não é nada como que já tenha lido, e a narrativa é um dos principais elementos de sua originalidade, muitas vezes o autor não dá continuidade as frases em linha reta, não coloca pontuação, deixando a leitura mais dinâmica e os momentos de ação mais empolgantes. Este livro não poderia ser escrito de outra forma, e apesar de eu não ser muito fã de histórias de ação e violência gostei demais desse, e torci pelos personagens que são apenas um pouco menos selvagens dos que os outros.

Eu estava surpreendentemente amando a leitura e daria 5 estrelas para o livro, mas o final me decepcionou, eu esperava bem mais. Assisti o filme e me decepcionei com a adaptação que não fez jus ao livro, muito menos as interpretações dos personagens. MAS felizmente eles mudaram o final do livro para o filme, e curti muito mais o final que o Oliver Stone criou, e só isso já faz valer a pena assistir ao filme também.

Resumindo: Leiam “Selvagens” mas estejam preparados para a violência, sexo, e palavrões. A história é muito boa, mas aceitei apenas o final criado no filme, que pode não ser tão real quanto o do livro, mas com certeza nos deixa mais satisfeitos.

  • Se deixar que as pessoas acreditem que você é fraco,
  • mais cedo ou mais tarde você vai ter que matá-las.

3 comentários:

  1. Oi Gabi, tudo bem?
    Vi apenas um comentário em vídeo sobre o livro antes de ler sua resenha e é daqueles títulos que me desperta a curiosidade imediatamente pelo enredo. Fiquei curiosa por esse triângulo amoroso que deu certo. Nunca li nada do gênero e, imagino, será uma experiência interessante.


    Beijo!
    >> Nine
    Estante da Nine

    ResponderExcluir
  2. Eu peguei este livro na mão semana passada e não comprei, pois tinha outros como prioridade, mas ele esta na lista.
    O filme eu não, mas me disseram que é muito bom e o livro, bem, só ouvi criticas boas e suas resenha esta ótima.

    Bjos!

    Livro Nas Mãos

    ResponderExcluir
  3. Gabis eu já disse que vc tem que parar de aumentar a minha wishlist desse jeito, to cada que passa mais ansioso pra ler esse livro viu

    ResponderExcluir

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo