#Resenha Predestinados - Starcroseed #1

 

  • Título: Predestinados - Starcroseed #1
  • Autora: Josephine Angelini
  • Editora: Intrínseca
  • Paginas: 320
  • Conceito: 1234

Helen Hamilton passou a vida inteira tentando disfarçar o fato de que é uma garota diferente, mas agora isso está cada vez mais difícil. Não apenas por causa de sua força sobre-humana ou porque às vezes, sem motivo aparente, pessoas estranhas simplesmente a atacam, mas também porque ela teme que seu juízo esteja seriamente comprometido. Pesadelos recorrentes com uma estranha viagem pelo deserto e a visão de três mulheres derramando lágrimas de sangue a tem atormentado noite e dia. Ao mesmo tempo, um impulso inexplicável passa a dominar seus pensamentos: Helen quer matar Lucas, um dos rapazes da misteriosa família Delos. À medida que descobre mais sobre sua verdadeira origem, ela percebe que a relação dos dois está submetida não só à sua vontade, mas a forças e tradições ancestrais.

Interessei-me muito por “Predestinados” por ele ser inspirado no clássico “Ilíada”de Homero, e por se tratar de mitologia grega que eu amo. A leitura foi difícil para mim no começo, logo no primeiro capítulo os muitos clichês me desanimaram. Acabei deixando a leitura de lado por um tempo, quando retornei a lê-lo já sem muitas expectativas a história chegou em um ponto muito interessante, e felizmente posso dizer agora que este livro é bom, e realmente conseguiu me surpreender.

  • “[…] Lucas estava de pé em frente ao seu armário, a uns seis metros de distância, também encarando Helen, enquanto o mundo esperava a gravidade voltar funcionar(...) Encontrar os olhos dele a despertou. Pela primeira vez na vida, Helen soube o que era o mais puro e venenoso ódio.”

Helen Hamilton sempre soube que era diferente da outras pessoas, ela vive em uma ilha com seu pai, e passou a vida inteira tentando esconder que é muito mais forte do que deveria ser, corre mais rápido do que qualquer outra pessoa, e têm pesadelos estranhos em que ela passa as noites caminhando por um deserto sem fim, e quando acorda ela está realmente cansada e machucada.

Tudo começa a mudar quando a família Delos chega a ilha, e todos começam a comentar sobre esses estranhos deslumbrantes. Foi esse o ponto da história que mais me incomodou, porque os Delos são Cullens demais com toda a beleza e o ar sobrenatural deles, isso juntando a garota insegura que se acha feia mas é linda, foram os clichês que me fizeram desistir do livro em um primeiro momento, a sorte é que eu retornei a leitura, e os rumos que a história tomou me surpreenderam muito.

Quando Helen vê um dos Delos pela primeira vez, Lucas, percebe que eles são diferentes como ela, e sente um ódio inexplicável e uma vontade incontrolável de matá-los, começando por Lucas. Depois de atacar Lucas na escola na frente de todos, a vida de Helen vira de ponta cabeça, ela deixa sua força e os poderes que ela não entende a dominarem pela primeira vez para lutar contra o Delos, estes que podem possuir as respostas para suas perguntas, mas eles não conseguem ficar no mesmo ambiente sem querer se matar.

  • “[…] Estava cansada de ficar com raiva o tempo todo. Lutar e matar, ou lutar e morrer, ela realmente não se importava. Desde que pudesse manter seu pai a salvo de toda essa
  • tragédia grega sem sentido, ela enfrentaria tudo o que poderia acontecer.”

A vontade de Helen de atacar os Delos foi o que me surpreendeu, um sentimento mútuo e sem controle, que parece vir dos tempos mais remotos, uma história antiga de sangue e vingança. Mesmo desejando matá-lo Helen sente-se atraía por Lucas, e depois de quase morrerem juntos o instinto assassino desaparece. Helen finalmente pode ter as respostas de suas perguntas, ela começa a se aproximar e principalmente a gostar de Lucas, mas ele sabe que esse amor é proibido.

Helen descobre através dos Delos que é uma semideusa. A mitologia sobre os semideuses neste livro é muito diferente, e Helen é uma “descente” de origem desconhecida, pois sua mãe a abandonou com seu pai humano quando ela era um bebê, levando todas as respostas consigo. A história de “Predestinados” conseguiu me envolver, Helen que era uma protagonista muita chata no início vai melhorando aos poucos e o seu relacionamento com os Delos também.

A história é boa, mas contém muitos clichês por isso podemos comparar este livro a muitos outros. Quando comparado a Percy Jackson que é o ícone da mitologia grega em livros infanto-juvenis, Predestinados perde para a toda a complexidade e aventuras da história de Rick Riordan. Mas quando comparado a Crepúsculo por causa da semelhança entre os Delos e os Cullens que comentei acima, Predestinados ganha por ter uma história bem mais elaborada, e um romance que cumpre o seu papel, mas não nos enjoa.

  • “[…] Helen, a amada pela deusa do amor, desceu as escadas para se enfiar na cama vazia
  • enquanto Lucas, o filho do sol, se inclinava para trás apoiando-se nos cotovelos e assistindo
  • a seu deus-pai fazer brilhar as tábuas de madeira  crua da sacada de Helen.”

O livro é narrado em terceira pessoa e isso me agradou muito, porque apesar de ser focado na Helen, podemos saber o que se passa com o Lucas, e os “vilões” da história. Gostei muito dos personagens: Clare, Lucas <3 , Hector, e é gostoso ler a interação entre os Delos. O romance entre Helen e Lucas vai se desenvolvendo aos poucos, é proibido, mas é fofo e torci muito pelo casal durante a trama, e continuo torcendo, mesmo não querendo que eles cometam os mesmos erros dos protagonistas de “Ilíada”.

Eu gostei sim do livro, e indico a leitura. Achei legal como a autora encaixou a mitologia grega na história e todas as coisas novas que ela incluiu. Um fato que me desagradou um pouco é que a Helen parece ser alvo de todas as maldições e desgraças gregas, mas isso é o que impulsiona a história a continuar, e pretendo ler os próximos livros dessa trilogia.

Ah! Não posso deixar de comentar que a diagramação do livro está incrível, a editora Intrínseca fez um ótimo trabalho, e amei essa capa e seu brilho metálico *-*

 

7 comentários:

  1. O que mais me interessa nesse livro é a mitologia, acho super legal livros que envolvem esse assunto e tenho grande interesse em lê-los.

    É uma pena que o livro esteja cheio de clichês, ultimamente é difícil achar livros mais originais, acredito que o autor tem que saber inovar e surpreender mesmo quando preso ao clichê que é o que me parece ter ocorrido com Predestinados. Adorei a resenha!

    Beijo;*
    Naty.

    ResponderExcluir
  2. Gabis, mais uma vez parabéns, amei a resenha, já estou com o meu predestinados aqui esperando para ser lido, graças a você

    ResponderExcluir
  3. Ah eu kero esse livro desesperadamente....
    @jan_araujo7

    ResponderExcluir
  4. Huum... parece ser legal, quem sabe ele fica de promoção em alguma loja, ne? hehe

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Eu queria ler esse livro, mas depois de tanto ver resenhas falando que lembra crepúsculo, desanimei ¬¬

    ResponderExcluir
  7. Eu queria ler esse livro. Gostei, a história é legal e queria conferir em breve esse livro.

    ResponderExcluir

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo