#Resenha “A Última Princesa”

 

  • Título: A Última Princesa
  • Autor: Fábio Yabu
  • Editora: Galera Record
  • Páginas: 128
  • Conceito: 1234

Todos sabem como é a vida de uma princesa: cheia de luxos e mordomias, cercada de servos devotados sob o teto de um belíssimo castelo. Mas para a nossa protagonista, a Última Princesa de um reino encantado, esses mimos e riquezas são apenas os muros de sua prisão. Banida de seu verdadeiro lar por um poderoso feiticeiro, a Princesa acabou esquecida pelo seu próprio povo. Enquanto sofre com saudades de sua terra natal, cultiva belas camélias em uma estufa em forma de palácio de cristal. Até o dia em que ela recebe a visita de um misterioso inventor chamado Alberto. Criador de maravilhas tecnológicas, ele acredita que “inventar é imaginar”, e lhe apresenta um mundo mágico, com animais mecânicos que cantam e dançam e uma casa encantada que surge nos lugares mais improváveis. O sonho mais ambicioso de Alberto é construir a Ave de Rapina: uma máquina mágica capaz de libertar sua Princesa… mas, para isso, ela também precisará enfrentar seus medos e quebrar sua maldição.

Não lembro exatamente onde conheci o lançamento “A Última Princesa” da Galera Record, mas recordo que comecei a criar grandes expectativas para essa leitura a partir do momento que assisti o encantador book trailer do livro. A premissa da história chamou minha atenção, em grande parte por se tratar de uma obra nacional, com elementos da história do nossa país misturados com muita magia e imaginação. Um livro nacional como eu nunca havia lido, e que me surpreendeu muito positivamente.

"(…) E, como todas as outras pessoas, princesas ou não, ela amava a liberdade."

Em “A Última Princesa” temos uma protagonista forte e sonhadora, sensível e determinada a acabar com as desigualdades que haviam entre o seu povo. “Você a conhece. Só não s e lembra dela.” Esta “princesa” foi inspirada pela Princesa Isabel, a nossa última princesa, e a que cumpriu o grande papel da libertação dos escravos no Brasil. Figura inesquecível na nossa história, mas será que todos se lembram de quem a última princesa foi, e o que ela significou para nós?

“A Última Princesa” reproduz a história de Isabel, e todas as dificuldades que a princesa passou, misturando muitos elementos mágicos dignos de um conto de fadas, mas apesar de Isabel cultivar um grande jardim, e  amar suas camélias como ninguém, nem tudo na vida da princesa são flores, e ela sofre pela perda de seus entes queridos, e pela a grande saudade que sente de sua terra natal.    

  • “(…) Uma princesa cuja história seria marcada por aventuras e grandes provações. A começar pelo duro fardo de herdar a coroa, na tarde em que o céu enegreceu anunciando a morte do irmão, com apenas dois anos de idade, para o absoluto desespero do Rei e da Rainha.”

A história do livro é triste, mas é narrada com tanta ternura que junto com a princesa esquecemos dos sofrimentos e damos lugar aos sonhos. Somos envolvidos pela aura encantadora da narrativa, e em vários  momentos me surpreendi com o pensamento que boa parte deste conto realmente aconteceu, e que a princesa e todos os seus entes queridos foram reais. Terminei a leitura com a curiosidade para saber o que realmente aconteceu na história de Isabel, e o que foi imaginação do autor.

A presença de Alberto Santos Dumont é outro ponto muito interessante no conto, e passei a ver esse grande inventor, e principalmente sonhador, de outra forma. Vale destacar que as várias ilustrações que estão presentes no livro, além de serem lindas, dão um toque especial a história.

Eu não conhecia a história da Princesa Isabel, apenas sabia que ela assinou a Lei Áurea que deu liberdade para todos os negros até então, escravos. Foi muito interessante a experiência de conhecer mais da princesa e seu amigo Alberto através desse livro.

  • "(…) - Sabe, Princesa... de certa forma, uma maldição é como uma invenção: para funcionar, você precisa acreditar nela."

“A Última Princesa” é um tão livro original como há tempos não surgia em nossa literatura. Um livro voltado ao  público jovem adulto, com elementos da história do nosso país, vividos através de duas figuras muito importantes que são a Princesa Isabel e Santos Dumont, narrado de uma maneira inteligente que transforma a história em um conto mágico, despertando a atenção do leitor. Li o livro em menos de uma hora e senti orgulho por finalmente ler algo que chamasse a atenção para a nossa história com tanta graça, e valorizasse o Brasil.

Claro que indico muito “A Última princesa”, leitura obrigatória, e como eu logo vocês estarão vendo a história do nosso país sob uma nova perspectiva. Sigam o escritor @fabioyabu, curtam a sua Fanpage no Facebook e adicionem o livro na sua prateleira do Skoob. Ah! Não deixem de conferir o book trailer ;)

7 comentários:

  1. Gabis, que demais ler uma resenha tão entusiasmada. Muito obrigado, fico muito feliz em saber que você gostou do livro e, o mais importante, se lembrou da nossa princesa. Tenho certeza de que ela está feliz também! :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei curioso agora, mesmo não gostando desse tipo de história fiquei com vontade de ler já que o livro é pequeno e pelo jeito tem uma história muito boa!

    ResponderExcluir
  3. Acho fantástico um autor conseguir escrever uma história juntando fatos reais e fantásticos! E essa capa? Ficou super delicada e charmosa!

    ResponderExcluir
  4. O seu blog foi o primeiro aonde eu vi este livro.. essas capas desenhadas nunca me chamaram muito a atenção.. mas sei que posso estar errada pois pode ter um história muito linda por atrás delas.
    Parabésn pela resenha

    ResponderExcluir
  5. Eu não me interessava muito no livro, mas adorei sua resenha! Ainda mais pelo fato de puxar mais para o lado do nosso próprio passado, deve ser realmente bem original e criativo de se ler.

    xx carol

    ResponderExcluir
  6. Oii Gabi

    Muitas coisas me chamaram a atenção nesse livro... A capa, a estória e a autoria brasileira!
    Empolguei-me muito quando você falou das ilustrações! Sou louca por desenho, deve dar um toque a mais à hi/estória *--*

    Também concordo com a Maíra, acho muito legal utilizar fatos reais como base para criar uma fantasia!
    Meu livro em eterno desenvolvimento é cheio de partes "inspiradas" em coisas que me aconteceram x)

    Não tinha me atentado ao número de páginas até que cheguei na parte do seu tempo de leitura... Fui conferir, e me surpreendi um pouco O.o
    Acho que esperava um livro um pouco maior :B

    E fui conferir as páginas do twitter e do face que você linkou e só então percebi que há lágrimas nos olhos dela. Eu pensava que aquilo era só algum detalhe quando olhava a imagem em miniatura :B kkkkkkkk

    :*

    ResponderExcluir
  7. Não sou muito fã de história, por isso mesmo adoro quando um livro a aborda de uma maneira que me faz gostar dela!!

    Eu já amava a capa, e o título, mas não tinha ideia de que era inspirado na Princesa Isabel!! Muito menos que Santos Dumont estava na história!!!

    O book trailer é muito fofo!! Juntando tudo, fiquei com mais vontade ainda de ler!! =)

    ResponderExcluir

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo