#Resenha “Footloose”

 

  • Título: Footloose
    Autora: Rudy Josephs
  • Editora: Galera Record
  • Páginas: 240
  • Conceito: 1234

Quando Ren, saído de Boston, se muda para uma pequena cidade no interior dos Estados Unidos, enfrenta um intenso choque cultural. Em Bomont, a diversão é proibida: nada de ficar fora de casa até tarde; festas, sem chance; o rock é banido e simplesmente esqueça sair para dançar. Agora ele está engajado em uma causa simples: fazer com que todos possam se divertir! Daqueles que não desistem com facilidade, Ren desafia a ordem local enquanto luta para chamar a atenção de Ariel, a bela e atraente filha do reverendo Shaw.

Para viver em Bomont, uma pequena cidade do interior dos Estados Unidos, você não pode desrespeitar nenhuma de suas regras, é estritamente proibido dançar em público, ou na sua casa. Ouvir música com volume alto é um crime contra a paz pública, e os menores de 18 anos não podem estar na ruas depois das 10hrs, ou seja, Bomont não é o melhor lugar para os jovens encontrarem diversão. Mas nem sempre foi assim, pouco tempo atrás essas regras não existiam, e com a chegada de Ren nessa pequena cidade, tudo pode mudar. 

  • “(…) Aquela noite havia sido a pior coisa que ele já a tinha pego fazendo, mas estava longe de ser a pior coisa que ele já tinha feito. Mesmo assim, não seria punida por aquilo. O reverendo Shaw nunca a mandava para o quarto ou cortava seus privilégios. Ele simplesmente a julgada. Com os olhos. Com as palavras. Com a forma como reprimia cada expressão visível do amor em relação à filha.”

Após perder cinco de seus adolescentes em um acidente de carro, os líderes de Bomont – e pais dos adolescentes que morreram – decidem instituir uma série de proibições para os jovens da cidade, tirando deles sua liberdade e a possibilidade de diversão. Todos estão traumatizados, e o reverendo Shaw não aguenta o peso da perda de seu filho, mas quando ele tomou a decisão de banir a música, a dança e a diversão da cidade, Shaw não imaginava que também estava perdendo sua filha mais nova.

Por ser um romance baseado no roteiro de Dean Pitchford e Craig Brewer, ou seja, um livro inspirado no filme, acreditei que seria uma daquelas leituras onde sentimos que “falta” alguma coisa, mas isso não acontece em Footloose. Os personagens são bem explorados, e com a narrativa em 3º pessoa conseguimos ter uma noção de tudo o que está acontecendo com os personagens principais da história.

Logo depois de enfrentar a difícil morte de sua mãe, Ren saí da Boston para viver com seus parentes que vivem em Bomont, uma típica cidadezinha do interior. Ren já sabia que tudo seria diferente, ele só não imaginava que seria TÃO diferente assim. Em Bomont não há bailes escolares, as pessoas não podem dançar ou escutar música alta, não concorda com as leis? As autoridades de Bomont também não gostam de forasteiros das “cidades grandes”.

“(…) - Meu nome é Ren McCormack - anunciou ele, com a voz clara, mas trêmula. - E quero fazer uma moção, em nome da maior parte da turma de veteranos da Bomont High School, para que...a lei contra dança em público dentro dos limites de Bomont seja abolida."

A história do livro é instigante, é realmente um descabimento proibir os jovens de dançar e ouvir músicas em volume alto por ai, até os livro da High school de Bomont sofrem uma forte censura e os alunos só podem ler o que é permitido pelos “adultos”. Super revoltante né? Um pequeno conselho que conta com um diretor escolar, um pastor , um policial, entre outros, decidindo a vida de todos! Eu sofreria muito em uma cidade assim por “ouvir música e perturbar a paz pública”. (risos!)

Os jovens que vivem em Bomont detestam essa situação, mas não se revoltam, pelo menos nem todos eles. Ariel, a filha do reverendo Shaw, é uma personagem diferente, um tanto “piriguete” e faz coisas estupidas para compensar o fato de ser privada de tantas coisas legais na vida. Arial sofre muito pela perda do irmão, e por todos culparem ele pelo acidente e pelas leis, mas ela acaba exagerando, e perde seu alto respeito para atingir seus pais.

  • “(…) Você e eu poderíamos nos agarrar bem aqui neste vagão. Mas aquele suor vai secar e você ainda vai se sentir como lixo. Esse é um trabalho para o Chuck. Não para mim.”

Ren  não pode conviver com essas estupidas leis, ele é movido a musicas e adora dançar, sua chegada em Bomont poderá mudar para sempre a história dessa cidade, e a vida de Ariel. Ren dá brilho para essa história, e ele é o principal motivo por ela ser tão legal! Com seu charme e dança, ele vai conquistado Ariel aos poucos, mas será que ele vai conseguir conquistar também o respeito e a liberdade que tanto deseja de Bomont?

Achei legal a relação que os personagens tem com Deus, como o reverendo Shaw que enche os jovens de sermões chatos nos domingos, e diz como eles dever agir, mas ele próprio não aprendeu o suficiente para ser feliz. Gostei muito da história, e estou ansiosa para conferir o filme, assistir as danças, as coreografias, e é claro ouvir Footloose!  Footloose é uma típica leitura e férias, um livro leve, descontraído, divertido e gostoso de se ler, está indicado!

- Não o irrite – disse ela. – Ele vai começar a dançar.

8 comentários:

  1. Apesar de saber que Footloose foi um filme de sucesso, não consigo me lembrar de nadaaaaaaa, e olha que não sou tão nova assim...
    Essa é uma das poucas resenhas que li do livro e todas parecem concordar que o livro é bem construído apesar de ter sido baseado em um roteiro para filme.
    O que mais gostei dos seus comentários foi saber que tipo de leitura este livro foi pra você, estou num momento em que quero isso mesmo, ler livros que fluam rápido e seja divertido.

    ResponderExcluir
  2. Ariel é muito piriguete e maluca, pkspks. Pelo menos no filme, né. Quero ver se remake vai ser tão legal quanto o original *-*
    Adorei a capa do livro!

    Beijos,
    Celle
    Três Lápis

    ResponderExcluir
  3. Oi Gabi! :D
    Eu nunca assisti ao filme. haha' Ou se assisti, não lembro. D:
    O livro parece ter uma estória legal, bem leve. Mas por enquanto não planejo lê-lo muito em breve.

    Ótima resenha! ^^
    Beijos,

    ResponderExcluir
  4. Ahhhh que legaaaaaaaaal!!!

    Não assisti o filme e nem sabia que a Galera tinha publicado livro =/

    Beijos

    Gabi - Romances e Leituras

    ResponderExcluir
  5. minha mãe viu o filme, e amou, não vejo a hora de ver também, e ler o livro, claro :D

    ResponderExcluir
  6. aaaaaaaaaaaa amei esse trailer, amei a resenha, AMEI tudo *----------* eu queeeeeeeeeeeero :O

    ResponderExcluir
  7. Nossa que lugar chatooo
    Não pode fazer nada de bom...rsrs

    ResponderExcluir
  8. Vi o trailer do filme, mas nem sabia que havia o livro, mas foi bom saber. Parece ser bem legal. Ótima resenha (:

    ResponderExcluir

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo