#Resenha Ainda não te disse nada

 

 

"Ninguém mais escreve cartas hoje em dia", Marina pensava. Até que um dia uma caiu em suas mãos por engano e mudou o rumo de sua vida. Levou-a ao lugar que ela sempre sonhou. E a conhecer o amor do jeito que nunca imaginou, da forma mais improvável do mundo...

Não tinha muitas expectativas para a leitura de “Ainda não te disse nada”, então comecei a ler o livro e esperei que ele me surpreendesse. Mas não tive que ler muito para que a história do queridíssimo escritor Maurício Gomyde me conquistasse totalmente. A simplicidade e sensibilidade de “Ainda não te disse nada” me encantou, me divertiu, e me fez acreditar que as melhores coisas da vida acontecem da maneira mais improvável possível, como duas pessoas que nunca teriam se conhecido, e um amor que nunca teria nascido se não fosse por uma “ajudinha” do destino.

A vida real não tem paixão. A fantasia tem.

Na trama Marina Albertini é uma bela jovem do interior, que se muda para Capital para estudar e conquistar seus objetivos profissionais. Marina é estudante de moda, ela tem verdadeiro amor pela profissão e sonha em ser uma grande estilista, estar no centro desse mundo de glamour que hoje ela apenas observa de fora. Além de estudante, Marina é funcionária dos correios, e todos o dias ela trazia e levava as histórias de outras pessoas, mas a romântica Marina desejava ser uma história, e da maneira mais improvável, ela vai conseguir isso.

Um dos grandes destaques da história é a simplicidade na escrita de Maurício Gomyde, narrativa a simples e linda. E os personagens são tão reais, é como se alguém estivesse nos contando essa história, porque ela com todos os seus detalhes é muito real, palpável, e eu me apaixonei por isso. Lembram na resenha de Um dia, que comentei que a “realidade” do livro era meio forçada? Felizmente não senti isso  com a leitura de  “Ainda não te disse nada”.

Voltando a história, Marina é atende dos correios, despacha encomendas e cartas durante todo o dia, só que nenhuma dessas cartas é escrita a próprio punho, porque afinal ninguém mais faz isso, certo? Assim Marina pensava até que a instigante Julia e seu “negócio” entram em sua vida, e depois de uma série de acontecimento promovidos pelo destino, uma belíssima carta de amor escrita a mão cai no colo de Marina. Será que ela terá coragem de continuar essa história?

"Desde que inventaram a internet, os Correios viraram só um lugar pra despachar encomenda e pagar conta. Ninguém mais manda carta. Agora só querem saber de e-mail e sei mais lá o que. O pior é que escrevem tudo errado e abreviado".

Marina é encantadora, não tem como não simpatizar com ela! Uma das minhas partes preferias é quando ela  desenhava, copiava modelos de revistas, ou melhor ainda quando ela criava seus modelos, dava para sentir a paixão dela pelo o que ela vazia, e nos sentimos essa emoção junto com a talentosa Marina. Aliás todos os personagens de “Ainda não te disse nada” são bem construídos e engraçados! Sim, me diverti muito com a história, me peguei rindo em vários momentos, e é um livro tão leve e divertido, exatamente o que eu estava precisando ler nesse momento!

O ponto alto do livro são as cartas, confesso que me emocionava pois nelas há tantos sentimentos, a sensibilidade dos personagens, suas frustações e seu amor, escritos com palavras tão belas que aguardamos ansiosos a cada nova carta. É possível se apaixonar por alguém que você nunca viu, e que não sabe quem você realmente é? É possível se apaixonar por palavras? Essa história provou para mim que sim, eu me apaixonei pela história e pelas palavras desses personagens.

“Ainda não te disse nada” está mais que indicado. A história é bem construída e que conta com ótimos personagens. Sobre o final eu esperava um pouco mais, gosto de finais do tipo que nós temos que ficar pensando e imaginado o que acontecerá depois, mas depois de tantas cartas eu esperava realmente ler o que vai acontecer. O final é corrido mas não atrapalha a qualidade de história. Livro mais que indicado, não deixem de ler!!!

"O amor é um pássaro rebelde que ninguém pode prender. Não adianta chamá-lo, pois só vem quando quer. Não adiantam ameaças ou súplicas. Uma fala bem, o outro se cala. É o outro que prefiro. Não disse nada, mas agrada-me. O amor, o amor..."

8 comentários:

  1. Oi, Gabi!

    Desde que fiquei sabendo que um dos personagens trabalhava nos correios eu fiquei maluca pra ler esse livro! haha Acho o ato de enviar cartas algo muito mágico, receber ainda mais! Tenho confiança de que vale mesmo a leitura. ^^

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. A sinopse do livro realmente me conquistou.
    Vou ler com certeza.
    XOXO,
    Carol

    ResponderExcluir
  3. Eu estou muito nessa fase de querer livros leve, que fluam com facilidade, para entretenimento e diversão mesmo, acho que devo separar alguns deste mesmo nível para ler depois q acabar Jogos Vorazes...
    Pela resenha já me identifiquei com Marina, há muitos anos atrás, antes de ter mais noção sobre o quanto é preciso ralar e ganhar dinheiro pra sobreviver, eu pensei em ser 'carteira' nem tinha ideia do q precisava pra ter este emprego, mas queria pelas cartas, eu as adorava, assim como ainda amo receber um bilhetinho escrito a mão, uma dedicatória num livro ganho, um cartão de aniversário e etc. E por acaso também queria ser estilista.. rs
    Apesar de ter me identificado de cara com a personagem, o que foi o suficiente para me instigar, a sua descrição das cartas, ou seja, da delicadeza que este livro fala me deixou ainda mais interessada! Entrou para listinha de desejos, FATO.

    ResponderExcluir
  4. Gostei pareçe ser bem bonito o livro e essa coisa de escrever cartas tá tão apagada nos dias de hoje e acho que esse livro serve pra mostrar que se escrever uma carta sua mão não vai cair

    ResponderExcluir
  5. Oi Gabi! :D
    Esse livro parece ser muito lindo! *-* A começar pela capa.
    Eu tô com muita vontade de lê-lo, parece ser bem leve mas ao mesmo tempo emocionante.

    Gostei dos quotes. *-*

    Bjuu' ^^

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha ><
    Poxa, quero mt esse livro!
    Quero uma coisa leve pra ler... ultimamente tenho lido mta coisa pesada. To precisando me equilibrar um pouco, rs.
    Sinto falta dos tempos das cartas, apesar de que nem vivi esse tempo, 'haha. Acho que às vezes prefiro clássico ao totalmente moderno. Esse negócio de ser tudo rápido e instantâneo é chato... com as cartas as pessoas ficam naquela expectativa. E ter as palavras escritas em mãos é diferente do que algo digitado e enviado no mesmo instante ><

    ResponderExcluir
  7. Tenho certeza que vocês não irão se arrepender da leitura desse livro, a história realmente é leve e tocante ao mesmo tempo.
    Espero que eu os tenha convencido com a resenha - parece que sim - não deixem de ler!! :)

    Beijos,

    Gabi
    Mundo Platônico
    http://gabiiem.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá Gabriela!
    Pelo jeito que você escreveu esta resenha, tenho a impressão de que amarei conhecer a Marina *-*

    ResponderExcluir

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo