Sexta do leitor #5

Hoje na nossa Sexta do leitor #5 você vão conferir a participação do Rodrigo Santos, ganhador do segundo kit da Promo de férias, que participou respondendo a uma entrevista super interessante que segue abaixo. Nela vocês vão conferir opiniões sobre a blogosfera literária, além de livros super interessantes como “Querido John”, “A menina que roubava livros” e a série “O Vendedor de Sonhos”.

  • Rodrigo Santos dos Reis (17 anos)
  • Cidade: Brasília - Distrito Federal
  • É tudo que eu sei

“Que tipo de leitor você se considera? Qual são seus estilos de leitura preferidos?”

De acordo com o quiz do site olivreiro.com eu sou o tipo tranquilão. E eu concordo com isso.

Talvez pelo fato de ter entrado nesse mundo da leitura há pouco tempo eu não possa ser considerado um leitor compulsivo. Acho que ainda não deu tempo. Então no momento eu sou um leitor mais tranquilo. Mas sempre que há oportunidade eu estou pegando emprestado, comprando ou tentando ganhar as promoções aqui do blog (risos).

E meus estilos preferidos são aqueles que têm mistérios envolvidos. Que te deixam na expectativa e te prendem na leitura. Gosto também de livros de ficção, mas não descarto os baseados em fatos reais. Os que têm uma mensagem que pode mudar a forma de você enxergar o mundo também são bem vindos. E um romance de vez em quando não faz mal pra ninguém, né?

"O que você acha desse grande crescimento da blogosfera? Quais são os pontos positivos e negativos desse crescimento?"

Em relação à leitura, acho fantástico! Pra quem disse que a Internet serviria como uma vilã da escrita impressa se enganou. Os blogs estão aproximando cada vez mais as pessoas dos livros. E isso é ótimo. 

São vários os pontos positivos. É uma porta aberta para os novos talentos divulgarem seu trabalho. Além disso, a oportunidade de conhecer pessoas com os gostos parecidos com os nossos é impagável. E por que não, compartilhar um pouco de conhecimento e experiência com outros leitores?

Não sei se isso serve de ponto negativo, mas acho que a concorrência entre os blogs é um tanto exagerada. Tem gente que vira inimigo. E a proposta não é essa.

"Porque você acha que a literatura nacional ainda não é tão prestigiada pelos brasileiros? É um fator cultural, ou as crianças, adolescentes e adultos precisam de mais incentivos para ler?"

Acho que um pouco dos dois. É um fator cultural porque aprendemos desde pequeno que a cultura estrangeira é melhor que a nossa. Qual criança prefere trocar a história da Cinderela ou O Pequeno Príncipe pelas aventuras da turma do Sítio do Pica-Pau Amarelo? Essa coisa de valorizar o de fora e rejeitar o de dentro vem desde o berço.

E sem falar que as crianças e adolescentes acabam pegando raiva da literatura nacional por causa da escola. Quem é que gosta de ser obrigado a ler aqueles clássicos da literatura brasileira chatos pra caramba? Acho que isso é outro motivo importante. As pessoas gostam do novo, mas eles querem nos dar o velho. Os que impõem a leitura esquecem que quando se conhece o novo, o interesse por descobrir as origens e as “antiguidades” vem naturalmente.

E a falta de incentivo também influi muito. Mas acredito que com esse “boom” da Internet, logo essas diferenças entre o nacional e o estrangeiro vão amenizar um pouco e as pessoas vão ter mais acesso a ambos.

“Você acha que o grande crescimento dos blogs literários brasileiros está ajudando a incentivar mais a leitura no Brasil? Principalmente entre os fãs de YA books?”

Ah, com certeza sim. A leitura no Brasil hoje está super valorizada em relação a outras épocas. Pelo menos eu acho que sim. Ainda não pesquisei as estatísticas, rs. Mas isso é uma cosia que se vê facilmente. É só jogar o nome de um livro no Google que veremos trocentos resultados de blogs e sites falando sobre o mesmo, e milhares de comentários de pessoas dando sua opinião. E principalmente entre os fãs de YA Books. Já que o público dominante na internet é o jovem e o adulto.

“O que você acha sobre essa moda de livros sobre vampiros e anjos? E qual é a sua suposição de próxima moda de livros YA?”

Eu não me interesso muito nesses estilos. Não é preconceito nem nada do tipo, só não gosto. Tem gente que gosta, legal, eu respeito. É a diversidade, isso é bom. Sem falar que os paradigmas sobre os estilos foram quebrados. Quem diria que o vampiro sombrio sairia à luz do dia ou que o anjo viria dos céus e viveria numa forma quase humana? Isso enriquece a imaginação. É bem legal.

E eu não faço ideia sobre o que vai ser a próxima moda de livros YA. As pessoas são tão criativas que eu não me surpreendo com mais nada. Eu só espero que seja boa.

   

No seu Skoob observei que você gostou muito dos livros: “A menina que roubava livros” e “Querido John”

“O que você pode dizer sobre A menina que roubava livros? Qual cena mais te tocou, e qual o seu trecho preferido?”

Talvez tenha sido o livro que mais me marcou. Pelo fato de ter sido o primeiro que eu li por vontade própria. É uma história contada pela própria morte, isso é fascinante. E duvido que quem o leu, não teve seus conceitos mudados sobre a morte.

Faz tempo que li. Não me lembro perfeitamente da cena. Mas foi uma em que Liesel, a personagem principal, reencontra seu amigo Max, um judeu que se refugiava no porão de sua casa em plena Alemanha nazista, depois d’ele ter fugido deixando os pais de Liesel e a própria sem notícias. É emocionante. Quem leu e lembra-se dessa cena sabe o que eu estou dizendo.

Tenho vários trechos guardados aqui. Mas gosto muito desse:

"O ser humano não tem um coração como o meu. O coração humano é uma linha, ao passo que o meu é um círculo, e tenho a capacidade interminável de estar no lugar certo na hora certa.
A consequência disso é que estou sempre achando seres humanos no que eles têm de melhor e de pior. Vejo sua feiura e sua beleza, e me pergunto como uma mesma coisa pode ser as duas.
Mas eles têm uma coisa que eu invejo. Que mais não seja os humanos tem o bom senso de morrer"
(A Morte)

“Em Querido John, o que você achou do estilo de narrativa do Nicholas Sparks? Assistiu adaptação do livro no cinema (Que teve mudanças drásticas)?”

A narrativa dele é sensacional. Ele tem um diferencial. Cara, ele conta a história de uma forma tão única que você acha que é real. Ele dá os detalhes importantes e não fica rodeando sobre fatos desnecessários. Passei horas lendo e gostei muito.

Eu gostei do filme também. Não tanto quanto do livro. Ficou bem diferente. No livro o Alan é irmão do Tim, já no filme ele é filho. Achei isso estranho. Mas ficou legalzinho. Sem falar que a trilha sonora é muito boa.

Sobre os livros da série O Vendedor de Sonhos [O chamado #1 - Revolução dos Anônimos #2]

“O que vocês têm a dizer sobre esses livros? O que mais te tocou? Você teria a coragem que o ‘Mestre’ teve para expor suas ideias?”

Se eu falar que foram os melhores livros que eu já li não estou exagerando. Eu tenho muito interesse em psicologia. E o autor (Augusto Cury) é um psiquiatra renomado, e tem muito a ver uma coisa com a outra. Talvez tenha sido isso que me fez gostar tanto. Eu ganhei o último livro da saga, que é “O Semeador de Ideias”. É o melhor dos três, porque dá um desfecho na história e nos presenteia com um final surpreendente.

O que mais me tocou foram, as atitudes de amor do ‘Mestre’ para com as pessoas. Ele não tem preconceito contra ninguém. Ele desce do nível mais alto da hierarquia social ao mais baixo, e ensina as pessoas como é bom viver. O livro é carregado de ensinamentos e mudou muito a minha forma de enxergar o mundo. E deve ter mudado a de todos que leram. Está mais que recomendado.

Se eu teria coragem que ele teve? Não mesmo (risos). Por isso o admiro.

“De tudo o que você já leu, que livro gostaria de ter escrito? E personagem, se de todas as obras que já conheceu pudesse por um dia assumir o lugar de algum, qual seria?”

Queria ter escrito “Ponto de Impacto”, de Dan Brown. É um livro de ficção muito bom. Apesar da história não ser verídica, as informações sobre algumas organizações americanas são verdadeiras. Sem falar nos dados científicos precisos que estão contidos no livro. Fico imaginando o quanto Dan Brown pesquisou pra escrever essa obra. É rico em detalhes e a história é ótima.

E se eu pudesse assumir por um dia o lugar de um personagem, escolheria o Julio César, do livro “O Vendedor de Sonhos – O Chamado”. É ele quem conta a história e passa os dias ao lado do “Mestre”. Ele é observador, meio quieto e eu queria ter a oportunidade de aprender tudo que ele aprendeu.

Rapidinhas:

  • O que me inspira: As pessoas e suas atitudes.
  • O que mais amo: Descobrir, aprender, escrever e ensinar.
    Livros são: A porta de entrada pra um mundo só seu.
    No meu tempo livre:  Fico na Internet à toa.
    Estou lendo: No momento estou esperando a coleção do Guia do Mochileiro das Galáxias chegar.
  • Meu livro e autor preferido: O Semeador de Ideias – Augusto Cury
    Sou fã de: Música, livros, blogs, rs
    Não gosto de: Muita agitação, coisas muito formais, mentiras
  • Meu maior sonho é: Tornar-me independente
  • Não viveria sem: Meus pais
  • Estou à procura de:  Novidades
    Meu personagem preferido é: Mellon Lincoln (O Vendedor de sonhos)
  • Uma frase: “Há momentos em que estamos sós, profundamente sós, no meio da multidão. Nesses momentos, não espere nem exija nada de ninguém. Só você não pode se abandonar”

"Obrigada por participar da Sexta do Leitor, Rodrigo! Gostaria de deixar um recado para os leitores no Mundo Platônico?"

Ah, eu que agradeço. Quem diria um dia ser entrevistado, rs. Gosto muito daqui e adorei responder as perguntas. O seu blog está mais que recomendado por mim.

Eu gostaria de deixar um recado para os leitores.

Tenho certeza que muitos de vocês estão voltando de férias agora, então eu queria desejar boa sorte pra todo mundo nesse início de jornada. Que nesse comecinho de ano se você jaz fez alguma coisa errada corrija porque ainda está em tempo. Que vocês aprendam a sorrir de verdade para a tristeza. Que se dediquem aos seus sonhos e não deixem ninguém os desanimar. Leiam muito, aprendam, descubram, imaginem e se divirtam. É isso.

Obrigada por participar Rodrigo, amei essa entrevista, foi a melhor até agora no blog! Gostaram? Não deixem de participar da Sexta do leitor!

Sexta do Leitor #1
Sexta do Leitor #2
Sexta do Leitor #3
Sexta do Leitor #4

17 comentários:

  1. Adorei o post!!!

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Vim dar aquela passada no blog parceiro, como dou toda semana e me 'encantei' , menina que lindo *.* que entrevista maneira Gabi, peguei váras frases dessa entrevista =) adorei... parabéns pelo blog *.* bjs*

    ResponderExcluir
  3. Adorei participar da entrevista ^^
    Ficou um pouco grande. Mas é porque a gente se empolga, rs.
    Beijão, Gabi :)

    ResponderExcluir
  4. Adorei essa entrevista! Ficou ótima!Parabéns!
    Li o Dear John e tenho a mesma opnião sobre o autor, o Nicholas Sparks! Ele sabe escrever o essencial! Sempree...
    A menina que roubava livros tbm é fantástico!Adoro!
    ;)
    http://lolisprincess.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Tão jovem e tão sábio!

    Parabéns pela entrevista!
    Parabéns pelo Blog "parceira". rsrs
    E Rodrigo, continue com essa ânsia de ler. Continue...

    Abraços e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  6. Fantástica a entrevista! Gostei muito!!!
    Nicholas Sparks é o máximo! Sempre!
    Bjo!
    Elis

    http://www.meucantinhodeleitura.com.br

    ResponderExcluir
  7. Puxa, gostei da entrevista! :D
    Mesmo eu gostando de livros totalmente contrarios a estes que ele citou, achei tudo bem interessante...
    Concordo com o que disse sobre os blogs literarios e os livros nacionais...
    Bem, mais uma sexta do leitor bem cool ^^

    ResponderExcluir
  8. Enteevista interessante!!
    Gostei das observações sobre a literatura em relação aos blogs literários.
    Sem dúvida A Menina que Roubava Livros marcou muita gente, não só ele!!
    Quero participar também!! Sempre falo isso e nunca me inscrevo né?! hahaha
    Vou tentar fazer isso essa semana!!
    Adoro essa seção, é interessante pra conhecermos outros leitores e seus hábitos!!

    Abraço


    Luiz Silva
    blogueiroleitor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Gabi!
    Adorei a entrevista! Concordo que a gente aprende a "pegar raiva" de livros nacionais por causa do que temos que ler na escola. Comigo foi assim, só fui procurar os novos livros nacionais depois dos 20 anos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. FICOU MUITO BOA A ENTREVISTA!
    Adorei as respostas, tão completas e tão sei lá, sinceras, pelo menos parecia. Fluiu super direitinho, adorei mesmo :D
    As frases que ele colocou foram bem legais, principalmente a da Rapidinhas. ^^
    A menina que roubava livros é realmente um livro fantástico, acho que o que mais chamou a atenção, foi aquela sinopse macabra: quando a morte conta uma história, vc deve parar pra ler. A partir daí, percebi que PRECISAVA do livro, haha.
    Tem um bom gosto ele, super eclético. E gosta de Dan Brown, ou pelo menos de ponto de impacto, haha.
    Parabéns pela entrevista, ;)
    Muito boa!

    ResponderExcluir
  11. To adorando todos os comentários e as opiniões. Que bom que vocês gostaram da entrevista.

    ResponderExcluir
  12. Oi Gabi!
    Ótimo post, ficou bem interativo!
    Obrigada por seguir meu blog. Eu pensava que já estava seguindo o seu quando na verdade não estava, mas agora já sigo ok?
    Coloquei seu banner na minha parte de parceiros, como combinamos. =D
    Adorei seu blog e pode deixar que estarei sempre aqui!

    Bjussss
    http://viciadospelaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. ah adorei a entrevista.
    E gostei muito dos comentários dele sobre os livros querido jhon e a menina que roubava livros. Querido Jhons já estou com ele na mão para ler, a menina que roubava livros ainda vous onseguir. \o/\o/
    também gostei das frases que você colocou.
    sucesso man.
    ---
    cadê o outro lay do blog?
    eu gostava tanto dele.

    ResponderExcluir
  14. Muito interessante essa entrevista, gostei muito.

    http://sempre-lendo.blogspot.com/

    Abraços
    Juan

    ResponderExcluir
  15. Gostei muito da entrevista :}
    E os livros que vc citou com ele, são inspiradores mesmo.
    A menina que roubava livros me surpreendeu, me fez chorar, me fez pensar...Todo mundo deveria ler ele. ><

    Até;

    ResponderExcluir
  16. Tem selinho para você no meu blog http://lireliegostei.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. Concordo com voce Gabi! Essa foi a melhor entrevista até agora! O Rodrigo é muito maduro e posso dizer que adorei as respostas que ele deu.

    Amo A menina que roubava livros, e a cena conde a Liesel se encontra com o Max é maravilhosa! A amizade que os dois constroem é maravilhosa.



    Beijoos

    ResponderExcluir

Adoro receber críticas construtivas! :)
Sempre que posso reservo um tempo para responder todos os comentários!
Obrigada desde já pelo carinho!

xoxo

© Mundo Platônico Todos os direitos reservados.
Criado por: Gabriela Morgante.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo